Menu / Busca

Vou viajar e meu gato vai junto!

A maioria das pessoas que vai viajar deixa o gato em casa ou hotelzinho, mas quando a família está de mudança para outra cidade, estado ou país, o gato tem que ir junto, lógico!

Nessas horas bate aquele medo e surgem mil perguntas sobre o assunto.

Vamos ver algumas dicas que possam ajudar a diminuir essas dúvidas:

DICAS PARA QUALQUER TIPO DE VIAGEM:

- providencie uma caixa de transporte com tamanho suficiente para o gato dar voltas dentro da caixa e, portanto, poder mudar de posição;

- 15 minutos antes da viagem borrife um feromônio sintético spray na caixa de transporte, para minimizar o estresse da viagem;

- se for possível, coloque um feromônio difusor de tomada um dia antes na casa nova, mesmo que seja apenas para passar alguns dias, pois isso ameniza o estresse da mudança. Caso não seja possível, coloque no mesmo dia da chegada, pois pode ajudar;

- providencia uma “mala” de viagem para o gato. O conteúdo varia conforme o tipo de transporte;

- não medique seu gato com drogas antieméticas (anti-vômitos) sem a receita de um veterinário;

- antes de qualquer viagem, mesmo que não seja voo internacional, é interessante levar o gato para consulta veterinária a fim de verificar o estado de sua saúde.

1)        VIAGEM DE CARRO ou ÔNIBUS:

- antes de viajar de carro ou de ônibus deixe o gato de jejum sólido por umas 3 horas e líquido por 1 hora. Raramente gatos sentem enjoo de movimento, mas nem você nem seu gato irão querer vômitos durante a viagem;

- na “mala” de viagem para o gato, que pode ser uma sacola, deve conter:

                – suas vasilhas de água e comida;

                – caixa de areia vazia + pazinha;

                – areia/granulado higiênico dentro de um saquinho;

                – uma toalha de banho para secar possíveis “acidentes”;

                – um lenço umedecido, caso precise limpar seu gato;

                – se estiver frio coloque um cobertor dentro da caixa de transporte;

- a viagem não deve durar muitas horas, do contrário terá que procurar um hotel que aceite gatos para passar a noite. A cada 2 horas é recomendado que pare num posto de serviços para dar um pouco de água ou comida ao gato. NUNCA tire seu gato do carro, a não ser que ele use coleira e guia;

2)        VIAGEM DE AVIÃO:

- verifique com a companhia aérea se é permitido levar o gato (dentro da caixa de transporte) junto com você. Do contrário ele terá que viajar no compartimento de carga;

- caso ele possa ir com você, na “mala” do gato deve conter:

                – suas vasilhas de água e comida (somente em voos nacionais);

                – uma toalha de banho para secar possíveis “acidentes”;

                – um lenço umedecido, caso precise limpar seu gato;

                – coloque um cobertor dentro da caixa de transporte;

- o transporte de animais domésticos (cães e gatos) na cabine de passageiros fica a critério da companhia (empresa). Caso seja aceito, o transporte deverá ser feito com segurança, em compartimento apropriado, sem causar desconforto aos passageiros.

- é preciso apresentar atestado de sanidade do animal, fornecido pela Secretaria de Agricultura Estadual, Posto do Departamento de Defesa Animal ou por médico veterinário;

- se a viagem é internacional você deve verificar quais são os requisitos sanitários exigidos pelo país pretendido e solicitar a emissão do o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) pelo fiscal federal agropecuário médico veterinário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Alguns desses requisitos são vacinas, como a antirrábica, por exemplo;

- em voos internacionais NÃO é permitido embarcar com alimentos e isso inclui ração e biscoitos para animais

Caso ainda tenha alguma dúvida consulte o site da ANAC: http://www.anac.gov.br

APÓS A VIAGEM:

Quando chegar à casa nova deixe seu gato por um período dentro de um único cômodo. Aos poucos deixe o gatinho andar pela casa para explorar o ambiente. Nessas horas, quanto menor o espaço, menor o estresse.

Muito cuidado com fugas, mantenha portas e janelas fechadas ou com telas, pois os gatos tendem a fugir para casa “antiga”.

Em geral os gatos levem de 10 a 15 dias para se adaptar a novos ambientes.

Boa viagem para você e seu gato!

Dra. Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Possui formação acadêmica em veterinária, especialização em medicina felina e mestrado e doutorado pela USP.