Menu / Busca

O que deixa um gato feliz?

Carinho atrás da orelha, coçadinha no nariz, correr atrás da bolinha, mas só se for de papel. Cada gato é de um jeito, mas todos são parecidos, como então é possível fazer um estatuto do gato feliz?

De uma maneira geral os gatos gostam de três coisas: comer, dormir e brincar. Com muita frequência é possível encontrar um gato que goste de carinho, mas isso não é uma regra. Regra mesmo é comer, dormir e brincar, não necessariamente nessa ordem, mas muitas vezes sim.

Dessa maneira você poderia dizer “pronto! Não preciso saber mais nada sobre gato, basta dar comida, caminha e brinquedos”, mas é aí que você se engana. Dentro do mundo felino, que é tão parecido e tão diferente ao mesmo tempo vamos encontrar ao longo de nossa vida como amante dos gatos uma gama de variedade de temperamentos, gostos, manias, hábitos e comportamentos quase que obsessivos compulsivos.

LOCAIS PROIBIDOS E PERMITIDOS

Como primeira dica para fazer um gato feliz eu digo: conheça seu gato, tente descobrir onde ele gosta e onde ele não gosta de receber carinho. A maioria permite com tranquilidade carinho na cabeça, especialmente perto das orelhas e no focinho. Muitos gostam de carinho nas costas também, mas patinhas, rabo e barriga são locais que nem sempre os gatos permitem serem tocados. Alguns gatos podem se sentir vulneráveis se tocados nesses locais.

ALIMENTAÇÃO

Comida (ração) e água sempre fresquinhas vão deixar um gato feliz, mas cuidado com obesidade. Excesso de comida também mata, assim como o hábito de beber água corrente. Praticamente todo gato gosta de beber água corrente, quem não gosta de se refrescar numa cachoeira? Mas esse hábito pode ser perigoso, pois alguns param de beber água da vasilha e podem ter problemas urinários. Se seu gato já pegou esse hábito ele pode se beneficiar com uma fonte própria para animais. Veja aqui dicas de como fazer seu gato beber mais água.

Algumas pessoas questionam “meu gato é muito fresco, ele só come a ração quando colocamos na hora. Aquela que fica na vasilha algumas horas ele não quer mais”. E eu sempre pergunto “você gostaria de ir a um restaurante e comer comida feita no dia anterior?”. Então o gato não tem nada de fresco, ele só não é burro.

SONECA PROLONGADA

Um gato pode dormir até 18 horas por dia, isso mesmo, 18. É muito se compararmos com os humanos, mas quem disse que o tanto que a gente dorme é que está certo e eles que dormem demais? Eu acho que os humanos dormem de menos, isso sim. Se dormíssemos tanto quanto o gato não teria tanta gente se preocupando com coisas sem sentido, fazendo coisas que não gosta. O tempo seria mais precioso. E é isso que o gato faz, ele curte cada segundo que passa acordado comendo ou brincando.

BRINCADEIRAS DIVERTIDAS

Quanto às brincadeiras poderíamos ficar aqui dois dias só falando delas, mas de uma maneira geral os gatos brincam porque simulam uma caça. Eles são excelentes caçadores e qualquer brincadeira que envolva “caçar” vai deixar um gato feliz. O brinquedo que mais faz sucesso é a varinha com penas na ponta que simula um pássaro voando. Esse é demais, mas bolinhas de papel também são um sucesso no mundo felino. A brincadeira com seu gato te desestressa, alivia as tensões do dia-a-dia, deixa seu gato mais feliz e ele ainda queima calorias.

AMIGO OU INIMIGO?

Um gato pode ser feliz sozinho ou acompanhado. De uma maneira geral os gatos são solitários, mas quando adotados juntos dois ou mais gatos podem se tornar amigos inseparáveis. Gostam de se lamber, brincar, correr, dividir a comida, etc. Isso acontece dentro da sua casa e na natureza também.

SOL MATINAL

Gatos gostam de tomar sol, muito sol. Gostam de ficar esticados horas na varanda ou quintal curtindo o calorzinho que o astro rei nos promove, mas os gatinhos também fazem câncer de pele, especialmente os branquinhos ou que têm algumas áreas brancas. Nesse caso não permita muitas horas de sol, principalmente nos horários de pico e, se puder, passe um protetor solar próprio para gatos.

ENRIQUECIMENTO AMBIENTAL

Alguns gatos gostam de se entocar e outros gostam de escalar. Você precisa descobrir de qual maneira seu gato gosta de ficar e se for “de entocar” pode providenciar caixas de papelão, tocas para ele dormir e caixas de areia com tampa. Se seu gato gosta de escalar eu digo sem medo “instale prateleiras na sua casa e veja a maior alegria que um gato pode ter”.

CAIXAS DE PAPELÃO

Se a curiosidade matasse não teríamos mais gatos no planeta, pois quem tem gato sabe sobre sua curiosidade incessante. Não podemos voltar com sacolas do mercado, não podemos se quer brincar com um gato na rua que nosso gato vem logo sentindo o cheiro em nossas roupas, vem logo colocando a cabeça dentro de todas as sacolas e caixas que vêm da rua. Para deixar um gato feliz, basta trazer alguma novidade da rua, que pode ser apenas a caixa de papelão do mercado e deixar que ele entre e se divirta a vontade.

INÉRCIA

Do mesmo tanto que o gato é curioso ele detesta mudanças. Não mude a marca da ração (a não ser que o veterinário mande), não mude a vasilha de lugar, não mude a marca da areia, não compre um sofá novo, não troque de namorado ou namorada, não faça novas amizades, não mude de horário de trabalho, nada. Mantenha sua vida exatamente do mesmo jeito que estava quando adotou seu gato até o fim de sua vida.

Claro que isso tudo é um exagero e ninguém vai seguir essas regras, mas se os gatos mandassem em nossas vidas (se bem que eles mandam mesmo) você não teria autorização para fazer nenhuma troca, pois os gatos gostam de rotina. Se puder seguir apenas algumas das dicas talvez seu gato se sinta mais satisfeito. Se precisar fazer alguma troca em sua vida ou na do gato, dê a ele duas semanas de adaptação, que é o tempo médio que um gato leva para se adaptar a uma nova situação. Mas não se esqueça, se algo está incomodando o gato, aí sim, mude logo para não estressar seu bichano.

Por último, mas não menos importante AME seu gato. Dê a ele todo amor e carinho que ele merece e terá em troca o melhor amigo que o homem (e a mulher) pode ter.

E deixe seu gato feliz!

Dra. Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Possui formação acadêmica em veterinária, especialização em medicina felina e mestrado e doutorado pela USP.