Menu / Busca

Linfoma Alimentar

Linfoma ou linfossarcoma é um câncer que se origina de órgãos linfoides sólidos, como por exemplo, nódulos linfáticos (gânglios), fígado ou baço. O linfoma alimentar é quando este câncer ocorre nas células do trato gastro-intestinal, como estômago, intestino delgado ou intestino grosso.

O linfoma alimentar é o tipo de linfoma mais comum nos gatos e a região mais acometida é o intestino delgado.

Existem dois diferentes graus de linfoma alimentar. O de baixo grau e o de alto grau. As diferenças entre estes dois tipos ocorre nos sintomas, no tratamento e no prognóstico. Os linfomas de alto grau são mais agressivos e, portanto têm pior prognostico.

PREDISPOSIÇÃO

Estudos demonstram que os gatos idosos são mais acometidos, mas não há uma predileção racial. Com uma pequena diferença os machos desenvolvem mais linfoma alimentar que as fêmeas, fato que ainda não há explicação.

CAUSAS

Antes da década de 1980 a principal causa de linfoma, incluindo o alimentar, era o vírus da leucemia felina (FeLV), mas com a introdução da vacina contra leucemia neste período, esse vírus foi pouco atribuído aos casos de linfoma. Hoje em dia já está comprovado que gatos que convivem com fumantes têm mais chances de desenvolver linfoma alimentar. Outra possível causa é a doença intestinal inflamatória.

SINTOMAS

Os principais sintomas são perda de peso, anorexia, vômito e diarreia. Nos casos de linfoma alimentar de baixo grau estes sintomas são mais amenos e podem desaparecer e reaparecer por meses. Nos casos de alto grau os sintomas são mais agressivos e aparecem rapidamente. Se o fígado estiver comprometido o gatinho pode ficar com as mucosas amareladas (icterícia).

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico pode ser feito através dos sintomas, exames de sangue e ultrassom, mas para definir com certeza o veterinário precisa realizar uma biópsia. Neste o patologista irá dizer qual o tipo de linfoma, de baixo ou alto grau e assim o tratamento poderá ser realizado de forma adequada. Muitas vezes um exame chamado imunohistoquímica é necessário, além da biópsia, para confirmar o diagnóstico.

TRATAMENTO

O tratamento do linfoma alimentar é realizado com corticoides associados à quimioterapia. Alguns pesquisadores também relatam tratamento com radioterapia, mas esta nem sempre é a melhor opção. Quando ocorre uma obstrução do intestino por causa do tumor, fato que é pouco comum, um procedimento cirúrgico pode ser necessário.

PREVENÇÃO

Uma forma simples de prevenção pode ser feita com uma alimentação adequada e sem trocas constantes. Sabe-se que a troca constante de ração pode desencadear doença intestinal inflamatória e esta pode se transformar num linfoma. Não fume perto de seu gatinho e fique atento aos sintomas. Se diagnosticado precocemente o gato tem grandes chances de cura. Além disso o tratamento com quimioterapia tem apresentado excelentes resultados.

Nunca medique seu gato sem orientação de um veterinário. Estas informações são apenas para complementar o conhecimento dos proprietários.

Dra. Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Possui formação acadêmica em veterinária, especialização em medicina felina e mestrado e doutorado pela USP.