Menu / Busca

Hipertireoidismo

O hipertireoidismo, ao contrário do que ocorre em humanos e cães, é uma doença comum nos gatos. Na verdade ele é a doença endócrina mais comum encontrada nos bichanos hoje em dia. É caracterizada pela produção em excesso de um hormônio chamado tiroxina (T3 e T4) pela glândula tireoide que fica localizada na região do pescoço ao lado da traqueia e que é fundamental para o equilíbrio hormonal dos gatos.

CAUSA

Com a idade avançada (geralmente mais de 8 anos) os gatinhos podem desenvolver um tumor benigno chamado adenoma que passa a liberar na circulação a tiroxina em excesso. Existem algumas teorias sobre a predisposição do hipertireoidismo, mas nada ainda está comprovado. Dentre essas teorias estão o excesso de bisfenol A nas embalagens plásticas das rações e o excesso de iodo nas rações comerciais.

SINTOMAS

O excesso de hormônios tireoideos na circulação pode causar perda de peso, agitação, fome excessiva, alterações cardiovasculares, tremores, vômitos e diarreia, mas nem sempre todos esses sintomas estão presentes.

DIAGNÓSTICO

O médico veterinário baseia-se na história clínica do animal, na idade, nos sintomas, em exame físico (aumento da tireoide chega a ser palpável) e exames complementares, principalmente a dosagem do hormônio T4.

TRATAMENTO

Antigamente só existiam duas opções de tratamento para o hipertireoidismo, que eram a cirurgia (retirada da tireoide) e o uso de medicamento oral. Felizmente, hoje em dia, podemos contar com o tratamento com iodo que quase sempre proporciona a cura do gatinho. O médico veterinário determinará qual a melhor técnica para cada caso.

PROGNÓSTICO

Em algumas situações o hipertireoidismo pode vir acompanhado de uma doença renal crônica, muitas vezes mascarada pelo excesso dos hormônios tireoidianos. Nesses casos o prognóstico é reservado.

Quando o gato não apresenta qualquer outra doença concomitante, quando o diagnóstico é feito rapidamente e o tratamento é adequado o prognóstico é bom.

Essas informações não devem ser interpretadas como forma de diagnóstico. Nunca medique seu gato sem orientação veterinária.

Dra. Laila Massad Ribas.

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Possui formação acadêmica em veterinária, especialização em medicina felina e mestrado e doutorado pela USP.