Menu / Busca

Cistite Idiopática

É um processo inflamatório da bexiga urinária, de causa desconhecida (idiopática) e que representa mais da metade dos problemas do trato urinário inferior dos gatos.

PREDISPOSIÇÃO

A maioria dos gatos com cistite idiopática tem entre dois e seis anos de idade. Um estudo revela que gatos obesos, de raça pura e que sob condições de estresse são mais suscetíveis à doença. Além disso, animais que se alimentam exclusivamente de ração seca são mais acometidos também.

O estresse, independente da causa, causa alterações no sistema imunológico, neurológico, endocrinológico e vascular. Já se sabe que animais agressivos, estressados ou que sofrem ansiedade de separação podem desenvolver cistite.

Gatos que moram em casas com superpopulação de gatos e/ou que não possuem uma caixinha de areia sempre limpa e bem localizada também podem ser predispostos à cistite.

SINTOMAS

Os sinais mais comuns são a periúria (urina em local inapropriado), dor ao urinar, podendo vocalizar ou não, sangue na urina e dificuldade em urinar (gotejamento).

Alguns gatos apresentam uma falha de pelos na barriga por excesso de lambedura (dor).

DIAGNÓSTICO

Não existe nenhum método de diagnóstico que seja eficiente sozinho. O mais importante é excluir todas as outras possíveis doenças e por último concluir que se trata de uma cistite idiopática.

O veterinário se baseia na história do animal, na descrição dos sintomas, no exame físico, em exames de urina e de imagem. Até mesmo uma cistoscopia pode ser realizada. Neste exame é introduzida uma sonda com uma câmera na ponta através da uretra até a chegada a bexiga. É um exame feito sob anestesia geral e requer equipamento específico.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

Outras doenças que podem apresentar os mesmo sintomas são: cálculo na uretra, infecção urinária, defeitos anatômicos na bexiga e tumores. Alguns proprietários podem se confundir em relatar dificuldade de urinar com dificuldade de evacuar e isso pode mudar todo rumo do diagnóstico.

TRATAMENTO

A cistite idiopática pode curar sozinha, sem medicamentos, mas é recomendado sempre levar seu animal ao veterinário caso ele apresente algum desses sintomas.

Analgésicos e anti-inflamatórios podem ser prescritos de acordo com cada caso.

Após uma avaliação completa pode ser que o gatinho precise tomar drogas antidepressivas ou ansiolíticas, mas essa decisão é muito delicada e somente um médico veterinário poderá prescrever.

Alguns medicamentos para tratar cistite em humanos são altamente tóxicos para os gatos, portanto NUNCA medique seu gatinho em nenhuma situação.

PREVENÇÃO

Ofereça vasilhas grandes para beber água e evite o hábito de beber em água corrente, pois isso pode fazer com que seu gato passe horas sem beber água esperando você voltar para casa para abrir a torneira. Uma boa hidratação evita uma série de problemas.

Evite mudanças bruscas na rotina do gato. Mantenha a caixinha de areia sempre limpa e em local reservado e silencioso, para evitar estresse no momento do “banheiro”.

Essas informações são apenas para esclarecer possíveis dúvidas dos proprietários e não tem valor diagnóstico. Nunca medique seu gato sem receita veterinária.

Dra. Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Possui formação acadêmica em veterinária, especialização em medicina felina e mestrado e doutorado pela USP.