Menu / Busca

O uso de anticoncepcionais em gatas

Infelizmente ainda é muito comum o uso de anticoncepcionais em gatas. Isso porque as injeções, que frequentemente são aplicadas por funcionários de petshop e não por veterinários, são muito mais baratas que a cirurgia de castração.

O que os proprietários desses gatos ainda não sabem é que aquele velho ditado “o barato sai caro” se aplica perfeitamente nesses casos. O anticoncepcional aplicado nas gatinhas é um derivado do hormônio chamado progesterona. Esse hormônio é naturalmente produzido pelos ovários e pela placenta das gatas, mas quando administrado em doses altas para evitar o cio é capaz de causar câncer de mama, hiperplasia mamária benigna, infecção de útero e, se a gata receber a injeção durante a gravidez, pode causar morte dos filhotes. Vamos esclarecer como funciona o processo de cada uma dessas doenças a começar pelo câncer de mama.

CÂNCER DE MAMA

De cada 10 tumores de mama nas gatas, nove são malignos, ou seja, cânceres. O principal agende causador do câncer de mama nas gatas é o hormônio aplicado como anticoncepcional. Isso porque os carcinomas mamários (nome do câncer mais comum) cresce em função da progesterona, ou seja, ela serve como “alimento” para o tumor. A melhor maneira de prevenir essa neoplasia é castrando a gatinha antes do primeiro cio e NUNCA aplicar anticoncepcional.

HIPERPLASIA MAMÁRIA BENIGNA

É um aumento exagerado das mamas das gatas, mas que não apresenta caráter maligno. Apesar disso, causa muita dor no local e a gatinha precisa ser castrada para diminuir a hiperplasia. Se isso não for feito pode desenvolver mastite, que é uma infecção das mamas e até necrose. Nos casos mais graves pode ser necessária uma mastectomia total, que é a retirada cirúrgica das mamas.

PIOMETRA / INFECÇÃO UTERINA

O hormônio progesterona causa aumento na espessura do útero das gatas, que em longo prazo pode acumular secreções que servem de “alimento” para bactérias. A piometra, que é uma infecção do útero, é uma doença muito grave que precisa ser tratada com antibióticos e cirurgia de castração de emergência.

MORTE FETAL

Muitas vezes o anticoncepcional é aplicado antes que o proprietário descubra que a gatinha está grávida. Nesses casos a presença desse hormônio não permite que ocorra todo processo de desencadeamento do parto, como contração do útero e dilatação do canal do parto para passagem dos filhotes. Dessa maneira os gatinhos não conseguem nascer, morrem e colocam a vida da gatinha em perigo, que pode morrer por infecção uterina e septicemia.

Agora que você conhece todos os motivos já pode parar de aplicar hormônio na sua gatinha. Passar essa informação adiante também pode ajudar quem não tem esse conhecimento e assim você ajudará a salvar outras vidas.

Lembre-se: a melhor maneira de evitar crias indesejáveis, infecção de útero e câncer de mama nas gatas é a CASTRAÇÃO.

Dra. Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Possui formação acadêmica em veterinária, especialização em medicina felina e mestrado e doutorado pela USP.