Menu / Busca

Imunodeficiência viral felina (AIDS)

A AIDS felina é uma doença causada por um retrovírus conhecido pela sigla FIV (vírus da imunodeficiência felina) que pode acometer qualquer gatinho, mas não é contagiosa para os humanos.

Esse vírus é capaz de causar a chamada imunossupressão nos gatos, ou seja, a imunidade fica prejudicada deixando o bichano suscetível a desenvolver outras doenças.

TRANSMISSÃO

A transmissão entre os gatos do FIV ocorre principalmente durante as brigas, onde os gatos se mordem e passam o vírus que fica na saliva. Pode haver transmissão sexual e da mamãe para filhote na gestação ou pelo leite.

Os machos, que naturalmente brigam mais, especialmente os não castrados que têm acesso à rua são muito mais acometidos pelo FIV do que as fêmeas.

SINTOMAS

Os sintomas variam muito, pois dependem das doenças concomitantes que acometem os gatos com o FIV. A maioria deles apresente sintomas de rinotraqueíte com secreção nasal, espirros e secreção nos olhos, mas qualquer sintoma de outra doença concomitante pode aparecer no gato com esse vírus.

DIAGNÓSTICO

O principal método de diagnóstico é a sorologia, ou seja, detecção de anticorpos contra o FIV no sangue do gato. Esse teste geralmente vem acompanhado da detecção do vírus FeLV, que causa leucemia nos gatos e é recomendado que seja feito em todos os animais com suspeita da doença.

TRATAMENTO

A imunodeficiência viral felina não tem cura, mas aqui no Brasil temos um tipo de FIV que é mais brando que em outros países, o que faz com o gato possa ter longa vida após o diagnóstico. O tratamento é paliativo contra as doenças que ocorrem concomitantes à imunodeficiência, mas em alguns casos podem ser administrados antivirais de uso humano.

PROGNÓSTICO

Varia de reservado à ruim e depende da condição em que o animal adquiriu o vírus. Os filhotes que adquirem da mãe costumam ter pior prognóstico, assim como aqueles que também estão infectados pelo FeLV, porém animais que adquirem o FIV na fase adulta têm mais chances de sobreviver por muitos anos.

Nunca abandone seu gato caso descubra que ele tem AIDS. Essa doença não causa mal algum aos humanos e abandonar animais, além de covardia, é crime!

Não medique seu animal sem orientação veterinária. Essas informações não devem ser usadas como forma de diagnóstico.

Dra. Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Laila Massad Ribas

Possui formação acadêmica em veterinária, especialização em medicina felina e mestrado e doutorado pela USP.